sexta-feira, 9 de março de 2007

Diálogo

Ela nunca percebeu, mas os momentos nunca foram diálogos.
Ela chega, fala, fala, fala, fala.
Ele olha, finge que escuta, balbucia um som de "concordo", ahã, uhum, sei...

Ela pensa que conversa, ele finge que escuta, ambos têm companhia, num diálogo de pessoa só. Ela não sabe, mas sempre foi um monólogo.

Um comentário:

gueko disse...

duramente belo