domingo, 25 de janeiro de 2009

Domingo

-
Presenteou-lhe com fotografias, que foram guardadas num livro de Barthes.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Coisas que vi hoje (pela manhã)

_

- garotinho subindo escadas (feliz, subindo rápido os degraus); parou subitamente quando viu o cadarço desamarrado.

- criança gorda chinesa sorridente levada pela mão por mulher negra, também gorda.

- menina loira de macacão preto; esperava táxi; equilibrou-se em meio-fio estreito quando ele chegou.

- um peixe.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Meio-fio

-
Atravessar a rua. O suficiente pra mudar toda a vida. O primeiro passo e uma decisão.
Do outro lado da calçada, era outra pessoa
.

Noite fria

-
Noite fria e triste. Ignorou o mau hálito do homem. Melhor do que a solidão, pensou. De manhã, saiu enojada, roubou-lhe a carteira.

Descanso

-
Cuidava da velha há quase dez anos. Quando saiu a aposentadoria, resolveu dar cabo do emprego. Com um travesseiro, a sufocou docemente.

Descuido

-
Um descuido, e revelou que já não mais o amava. Ele tomou coragem, disse que sentia o mesmo. Respiraram aliviados. O melhor ato falho.

Lynch

-
Silêncio sepulcral na minha rua, o sol simplesmente sumiu! Sinto-me num David Lynch! Por favor, me digam, o que está acontecendo???

Coragem

-
Faltou coragem. Por isto, foi infeliz. Amava suas pernas, seios, lábios e tudo. Nunca assumiu o romance, porque ela se chamava Arlindo.

Culpa

-
Viagens, carros, mulheres e privilégios eram mesmo maiores que a moral. Não era muito difícil ser político e corrupto - admitiu.

Iguais

-
Marcos dizia sim ao livre mercado. Aos olhos de João - comunista - quase uma pessoa má. "Fora da realidade" - dizia este. Se apaixonaram.

Advogado

-
Hoje ele é advogado, casado, dois filhos. Na adolescência, gostava de se exibir, se masturbar na webcam. Era legal também.

Encantada

-
Raul tinha colônias de bactérias no couro cabeludo, na boca, nos pés. Mesmo assim, encantou Liana, que namorou por um ano e cinco dias.

Nasceram humanos [Da Série: Foi Feliz Para Sempre]

-
Nasceram humanos e preocuparam-se muito com o futuro. Aos 20, transferiram suas memórias para microchips. Viveram felizes para sempre.

Emergente

-
Morria, porque ele era capaz de misturar feijão e sushi. Respirava fundo, o importante era que agora podia comprar na Daslu.

Edifício

-
Lindo era o rapaz, eu tinha certeza. Seguia depressa. E eu, no 6° andar. Queria avisar "seus papéis vão cair!". Em vão. Perdi de vista.



terça-feira, 6 de janeiro de 2009

-
Me desculpe, mas eu não te amo.



-