segunda-feira, 25 de maio de 2009

Amores


Acho que eu amo o Sufjan Stevens.

O verbo amar é um dos mais perigosos, sabe...

Eu amo minha cama. Amo (talvez) o Sufjan Stevens. E amo algumas pessoas (tão poucas...).

1. Não estou bêbado; 2. Eu amo coisas e pessoas; 3. Eu acho bastante perigoso o verbo amar (ah, já disse isso).

Há diferentes níveis de amor, na minha concepção.
Diferentes "amores" então...

Meu domingo foi inesperadamente denso: romantismo inglês de Wordsworth e obscurantismo soviético de Tarkovsky.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Pós-sex

No caminho havia um pouco de lama, alguns bichos estranhos, entre eles uma salamandra preta e vermelha e um sapo, no qual pisei sem que houvesse intenção. A salamandra era na verdade um bicho amorfo (encaixado, assim, como salamandra, nas taxonomias não menos estranhas advindas de uma mente conturbada - a minha).

Havia água, muita água, talvez um rio que, transbordado, gerava a lama nas margens, nos caminhos, e deixava os bichos - anfíbios - jogados, desnorteados, no meio das passagens.

Havia somente eu, e minha jornada. E não apenas sapo e salamandra. Talvez mais algum caminho. E talvez mais algum excesso de bichos. Anfíbios, outros animais. Insetos.

Diriam, psicanalistas, terapeutas, puro princípio de psicopatia.Psicopatologias.

Eu diria: enquanto meu corpo se move, involuntariamente, na cama, tenho a sensação de que durmo acompanhado, quando ainda estou sozinho...

domingo, 3 de maio de 2009

Um minuto

São oito e treze da noite, um domingo. Subo na cama pra abrir a janela. Não tiro os tênis. Sincronizadamente, meu vizinho da frente (na verdade, à minha direita, a cerca de cinquenta metros), abre a janela também. Acende um cigarro, está sem camisa. As cortinas dele são vermelhas, bem iluminadas pela luz que vem do quarto.

Minhas cortinas são corta-luz, as mais apáticas possíveis - cinzas, em um dos lados. Objetivo: apenas bloquear qualquer indício de luz que venha lá de fora. Luz do sol, luz do céu, luz de fogos, luz de balão.


Hoje é domingo. Espero namoradinho. Meio namorinho de portão, sabe, tem sido assim.

Alguém ainda acha graça de Faustão? O que pensa toda essa multidão? Eu não tenho televisão.

Eu também sou alienado, vou comer no McDonald's.