domingo, 3 de maio de 2009

Um minuto

São oito e treze da noite, um domingo. Subo na cama pra abrir a janela. Não tiro os tênis. Sincronizadamente, meu vizinho da frente (na verdade, à minha direita, a cerca de cinquenta metros), abre a janela também. Acende um cigarro, está sem camisa. As cortinas dele são vermelhas, bem iluminadas pela luz que vem do quarto.

Minhas cortinas são corta-luz, as mais apáticas possíveis - cinzas, em um dos lados. Objetivo: apenas bloquear qualquer indício de luz que venha lá de fora. Luz do sol, luz do céu, luz de fogos, luz de balão.


Hoje é domingo. Espero namoradinho. Meio namorinho de portão, sabe, tem sido assim.

Alguém ainda acha graça de Faustão? O que pensa toda essa multidão? Eu não tenho televisão.

Eu também sou alienado, vou comer no McDonald's.

Um comentário:

Heder disse...

"Hoje é domingo. *leila"