quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Postar

A crônica no blog, o “post” como sinônimo de publicação. Não mais caneta, não mais tinta na máquina de escrever, não mais tipografia, não mais página de papel. Quem sabe um kindle, ou uma tela flexível da LG ou algum outro desenvolvedor? Uma tela flexível, quem diria? Em breve, estaremos por aí, com alguma no bolso.

Mas e a crônica? O que é a crônica? O que é a minha crônica? Quem sou eu, ou que sou eu, quem me lê, por que me lê? Quais são as minhas angústias, minhas alegrias, minhas experiências, meus relatos, minhas tentativas de escrever para o resto do mundo? (Publicar…)

Continua tudo aqui. Passam os tempos, as tecnologias, as plataformas, os processos, mas a essência é a mesma, imagino. Eu, que desejo falar pra você, que tem a paciência de me ouvir. Talvez o que eu falo lhe interesse, talvez me responda, talvez conversemos de novo… Está formada a conversa. A leitura.

Duas e cinquenta e cinco da manhã. Sinto uma mistura de fome com sono. Um pequeno torpor, visto que já é hora de dormir. Amanhã – hoje – cedo tenho que, de uma vez por todas, arrumar meu quarto, escrever uma notícia, ir pra academia e comer alguma coisa saudável. Talvez resolver conflitos mais delicados. O dia me aguarda. E você, o que faz?

Há pouco preparei uma caipirinha de kiwi. Fazia tempo que não tomava.

Um brinde a nós.

Nenhum comentário: