domingo, 21 de outubro de 2012

Conflito

Quero conhecer tuas vísceras, você diz.
Eu me desejo impassível. Quero proteger meu estômago.
Surpreendo-me com minha serenidade, saio para um passeio e, de repente, percebo que não desce aquele gole de cerveja incumbido de transparecer muita calma.

Bato fortemente um prato contra a mesa.

Procuro não sentir nada, uma cor sem movimento.
Às vezes, consigo.

Nenhum comentário: