domingo, 24 de novembro de 2013

Anos 10

Lojinha de luminárias no Saara, centro do Rio, hora do almoço. O homem engravatado escolhe algumas peças, atendido pela vendedora gordinha e simpática, os dois com seus trinta e poucos anos, ela fazendo seu papel de atendente, ele de comprador.

Ele diz que está com pressa e que volta no dia seguinte, pede nome e telefone dela, que prontamente busca um cartão da loja e entrega ao cliente.

- Mas aqui tem só o telefone da loja - ele reclama, em tom comedido. Na verdade eu queria o seu.

Os olhos da moça sorriem discretamente, ela volta ao balcão e preenche de novo o pedaço de papel. Ele confere, sorri de volta, anda alguns passos no interior da loja, como quem procura um abajur, ela diz que sai às seis e que a chefe está de olho. Ele então se despede e agradece. Ela age como se acabara de atender mais um comprador.

Com o pé já na calçada ele então retorna à loja, caminha até a vendedora e diz, novamente se despedindo:

- Meu nome é Antônio.

Nenhum comentário: