sexta-feira, 25 de maio de 2018

circular

eu não me esqueço daquele dia em que a gente entrou no céu,
entrou na água,
no mar de ITACOATIARA

na minha cabeça, o mar estava frio
a gente azul, um pouco roxo como seus lábios
você, olhos de galáxia,

como era intenso. tão intenso.
eu tinha 27 anos.

a tua beleza me bastava:
o corpo,
a mente,
a voz,
teu coração,
teu espírito.

eu ficava ouvindo tua voz gravada numa página do MYSPACE
deve ainda estar lá

mas depois eu ouvi muito mais.
eu te gravei,
eu te filmei,

eu botei você num porta-retrato da sala.
era você na casa do Neruda, no Chile,
olhando pra um espelho.

coisa mais linda.
eu te amava tanto.

feijoada no sábado,
preguiça de manhã.
você baixou um joguinho estranho no meu computador
parecia dos anos 90
show da Tulipa no Circo de noite

a gente se arrastando no sol, eu sentia o asfalto derreter sob meus pés,
a gente se arrastava de languidez


parece até infinito.

Nenhum comentário: